segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Adeus

E de repente ficou imóvel, como se tivesse sido invadida por toda a inércia existente no universo, por momentos ficou sem se lembrar como respirar. Sentiu o gelo a percorrer-lhe o corpo, e algo a abafar-lhe a voz. Já tinha dito o fatídico “temos que falar”, tinha de falar, tinha de explicar que às vezes o pouco dói mais que o nada. Tinha de cortar com o que o insuficiente que a sufocava, mas não queria.

Fumou um cigarro enquanto avaliava as suas possibilidades, sabia o que tinha a fazer, o que não sabia era como fazê-lo. Apercebeu-se que o frio que lhe invadia a alma era a antecipação do “nunca mais”, o sabor amargo do fim. Como é que podia saber se o pior era dizer sim ou não?

Levantou-se e disse adeus. Caminhou sem olhar para trás, com receio de perder a pouca força que ainda tinha para andar.

11 comentários:

Susi disse...

Pois, mas um adeus é necessário. E às vezes temos mesmo que fechar uma porta para abrir outra porra qualquer. Portanto tá a animar e a voltar ao bom humor com que nos tens habituado :p

patrícia disse...

Oh, gosto tanto disto! :c
às vezes é mesmo preciso :|

Gasper disse...

Susi, adorei o "abrir outra porra qualquer" Ahaha Não te preocupes que dentro de em breve retomaremos a emissão normal :)

patrícia, às vezes tem mesmo de ser! custa é como o raio :p

Paula disse...

Espero que esteja tudo bem e que retomes a emissão normal, como dizes!

Karochinha disse...

Os Adeus são tudo menos fáceis e simples! Mas quase sempre têm a sua hora determinada de acontecerem e contra isso nada há a fazer! É preciso é coragem...muita!
Beijocas nossas ;)

Mim disse...

Nunca mais é muito tempo, mas por vezes somos forçados a tomar decisões para a vida... é uma das desvantagens de ser adulto.

Poison disse...

As vezes também eu precisava de coragem para viras as costas e seguir sem olhar para traz... enfim!

Mas esta um texto muito bonito!
:)

Gasper disse...

Paula, está tudo bem. São apenas momentos que fazem parte da vida

Karochinha, realmente quando tem que ser não há nada a fazer.

Mim, por isso é que tenho saudades de ser criança era tudo mais simples :)

Poison, obrigada. A coragem muita vez falha, mas cada caso é um caso.

Ju disse...

Por muito que custe, às vezes é preciso e, no futuro, percebemos que foi a atitude certa.

Dom disse...

Porquê um adeus e não um "até logo"?
Por vezes há problemas que só precisam de tempo...

Gasper disse...

Ju, espero que sim :)

Dom, é verdade mas há coisas que o tempo não resolva só arrasta.